Descobri que tinha mioma em junho de 2000, quando engravidei. Por causa do mioma a gestação não teve sucesso.
Depois de fazer ultrason, a médica que faria o meu pré-natal decidiu retirar o útero, pois segundo ela, não tinha mais o que fazer.

Saí do consultório meio atordoada e resolvida a procurar outro médico, quando me falaram da Dra. Wanda P. de Morais, que gentilmente me recebeu e começou a tratar do meu problema. Foi feita a curetagem e ela me disse que faria tudo que estivesse a seu alcance para eu não perder o útero. Dias depois comecei um tratamento com LUPRON DEPOT, durante seis meses. Este diminuiu um pouco, mas logo os miomas voltaram a crescer. Em maio de 2001, foi marcada uma cirurgia para retirada dos miomas ou parte deles, porém antes fui submetida a uma laparoscopia para ver se realmente havia possibilidade de retirar os miomas sem danificar o útero. Infelizmente não foi possível, pois os miomas eram muito grandes e se fosse realizada não daria para reconstituí-lo e certamente eu iria perde-lo. Como não tenho filhos ainda, minha médica achou melhor esperar.

A essa altura eu sentia muitas dores na região pélvica e um desconforto muito grande no período pré-menstrual. Meses depois voltei ao consultório da Dra. Wanda, para exames de rotina, quando a encontrei entusiasmadíssima e me disse que acabara de participar de um Congresso sobre “EMBOLIZAÇÃO DE MIOMA”.
Fui encaminhada imediatamente para o Dr. Néstor H.Kisilevzky ( o médico do congresso), que me recebeu muito bem e me explicou o que seria ” Embolização de Miomas”.
Fiz então os exames e foi marcada a cirurgia para o dia 12/07/2002.
Fui internada de manhã e à tarde foi feita e Embolização. No dia seguinte recebi alta e dois dias depois voltei a vida normal. Menos de um mês já não sentia mais dores e nem desconforto.

Antes de fazer a Embolização meu útero media 1001,3cm3(cc). Depois de fazer um novo ultrason em 10/12/2002 esse volume reduziu para 612,8cm3(cc). Estou me sentindo bem e logo pretendo engravidar.